Os 24 sintomas mais comuns do Vício em Pornografia

As Consequências do Vício em Pornografia

Veja abaixo, alguns depoimentos retirados diretamente do Capítulo 4 do eBook Vício em Pornografia Como Parar? de usuários reais de pornografia e o problema que estão passando:

 “No meu caso, o principal era a baixa motivação. Eu não me importava mais com nada, sempre cansado, dificuldade de concentração, ansiedade, depressão, etc.. Eu sabia que algo não estava bem comigo e os meus amigos íntimos e a minha família também, mas eu simplesmente não conseguia colocar o dedo na ferida ou não queria admitir que eu estava viciado em pornografia.”

 “Quando reduzi o nível de intensidade do material que eu estava assistindo, minhas ereções perderam muito a força. Foi quando eu percebi que tinha um problema. Eu nunca tinha notado que eu precisava de  material de maior intensidade para manter meu pênis excitado.”

 “É inacreditável o que estes últimos 10 anos de pornografia fizeram para a minha vida. É absolutamente inacreditável. Eu desenvolvi depressão, ansiedade social, zero amigos, perdi uma namorada incrível depois de 4 anos de namoro, a escola e o trabalho ficaram de cabeça para baixo.”

 “O uso de pornografia quase arruinou meu casamento em longo prazo e se minha esposa não fosse forte como ela é ele teria acabado. Eu tenho conversado com outros homens sobre pornografia e todos eles admitiram para mim que têm visto muita pornografia e estão a ponto de usar até medicação contra impotência (viagra).”

 “Se eu estou sem ver pornografia, acho fácil falar com outras pessoas no escritório, contar piadas, falar com o chefe e com algumas das minhas colegas de trabalho do sexo feminino. Quando eu me masturbo, a minha tendência é querer me esconder debaixo da minha mesa e evitar todo o contato visual. Eu tentei uma e outra vez me convencer de que isso é apenas um efeito placebo, mas os resultados são realmente difíceis de contra argumentar.”

 “Eu me sentia um merda 24 horas por dia. Eu não tinha energia e motivação. Eu estava letárgico todo o tempo. Eu não comia direito. Eu não me exercitava. Eu não estudava. Eu não me importava com a higiene pessoal.  No estado que eu estava, era extremamente difícil ficar por mais de 3 minutos focado em algo produtivo.”

“Com a internet de alta velocidade eu estava sempre procurando o ‘vídeo certo’: transexuais, hermafroditas, swingers, amadores, e até mesmo gay, sendo que eu sempre tive certeza de que sou heterossexual.”

 “Eu cheguei a um ponto onde eu gastava pelo menos 4 a 5 horas todas as noites tentando encontrar o vídeo ou imagem perfeita. Muito triste quando penso sobre isso! Às vezes eu até mesmo me fingia de doente para não ir trabalhar e passar a noite toda em frente ao computador. Eu nem percebia o quanto o tempo passava até que via o sol nascer. Eu sabia que tinha um problema sério. Além disso, eu tenho sofrido com a ansiedade e depressão desde os 13 anos (coincidentemente durante o mesmo tempo que eu comecei a usar pornografia de forma regular).”

 “Fui viciado em pornografia por mais de 10 anos. Só agora percebi que isso teve um efeito profundo sobre o meu desejo sexual. Estou com 31 anos agora. Passava mais de uma hora quase todas as noites vendo pornografia. Quando olho para trás, lembro que na época eu pensava que isso era uma coisa normal, e que eu devia matar o desejo dentro de mim para poder parar de pensar em sexo e assim poder fazer outras coisas mais importantes. Mas agora eu percebo que eu errei feio. Gostaria que alguém tivesse me alertado antes sobre o dano que isso poderia causar.“

 Como você pode perceber, são pessoas normais, como eu e você, muitos na casa dos seus 18 a 30 anos que não deveriam estar passando por este tipo de problema, com essa idade, mas que de fato, estão. Como isso é possível?

 

Vício em pornografia é uma coisa séria

Num estudo desenvolvido em 2014 pelo Instituto Max Planck da Alemanha, pesquisadores isolaram e analisaram as imagens dos cérebros de usuários de pornografia que ainda não eram viciados.

Neste estudo, os especialistas descobriram que os indivíduos que usaram mais pornografia, mesmo não sendo viciados, tiveram uma diminuição significativa da massa cinzenta do cérebro e mostraram menos excitação para imagens sexuais.

Note que essas pessoas ainda nem eram viciadas em pornografia e a simples exposição ao material pornográfico já originou esses efeitos. Agora, imagine o que acontece com alguém que ingenuamente tem consumido pornografia por meses, anos, alguns décadas?

O resultado pode demorar a aparecer pois leva tempo (às vezes anos) para os sintomas se desenvolverem, mas certamente eles aparecem!

Abaixo, uma lista com os principais sintomas que as pessoas que estão passando ou passaram pelo vício em pornografia costumam nos relatar:

 

Os 24 sintomas mais comuns do Vício em Pornografia

– Perda de interesse pela parceira (o).

– Perda de interesse por relações sexuais reais.

– Disfunção Erétil.

– Ejaculação Precoce.

– Ejaculação Retardada.

– Perda de sensibilidade no pênis (Death Grip).

– Perda da sensibilidade na vagina (Death Schlick).

– Ansiedade social.

– Confusão mental e perda de memória.

– Procrastinação, perda da motivação e da força de vontade.

– Hipofrontalidade

– Sentimentos constantes de Vergonha e de Culpa.

– Depressão.

– Pensamentos suicidas induzidos pelo vício.

– Baixa auto-estima.

– HOCD ou SOCD.

– Objetivação do sexo oposto.

– Confusão com a orientação sexual.

– Compulsão sexual.

– Principio de desenvolvimento de psicopatias sexuais.

– Voz fraca e falta de energia.

– Desenvolvimento de sintomas agudos de abstinência.

– Tendência de envolver-se em relacionamentos doentios.

– Perda de atratividade sexual.

 

Uma única variável em comum

É claro que não podemos generalizar e atribuir todos os sintomas citados unicamente ao vício em pornografia. Podem existir outros fatores envolvidos em cada caso.

Também não podemos ser irresponsáveis ao afirmar que necessariamente todas as pessoas viciadas em pornografia irão apresentar todos esses sintomas ou que estes sintomas são originados exclusivamente pelo vício em pornografia, pois isso não é verdade.

Com exceção da Disfunção Erétil que é um dos sintomas mais comuns e presente na maioria dos casos de vício em pornografia, geralmente as pessoas acabam desenvolvendo um conjunto de apenas 4 a 5 desses sintomas citados, outras mais.

No entanto, é importante ter em mente que o fato dos sintomas demorarem para se manifestar (para algumas pessoas leva anos para isso ocorrer) acaba dificultando o diagnóstico e atrasando o tratamento. Daí a importância de nos informarmos a respeito para podermos detectar e lidar com este problema o quanto antes.

Não se engane! Apesar de não ser garantido que você desenvolva todos esses sintomas, se você tem o hábito de consumir pornografia já algum tempo, a probabilidade de você estar desenvolvendo alguns deles é muito grande.

 

Como isso é possível?

Como alguém com 20 a 30 anos pode estar desenvolvendo Disfunção Erétil, se este é um problema de pessoas idosas de 50 anos ou mais?

Como um simples vídeo pornô, pode acarretar em tantas consequências?

Qual o mecanismo que possibilita que isso tudo ocorra e

Porque ninguém previu essa possibilidade?

Para entender isso tudo e o que consiste o Vício em Pornografia de um ponto de vista científico, recomendamos que leia o artigo abaixo:

O que é o Vício em Pornografia.

Boa Leitura!

  • João Junior

    Ola eu tenho a assinatura do ebook e to terminando de ler, essa parte da “perda de atratividade sexual” quer dizer perda da atratividade das outras pessoas em relação a quem é viciado em porno, ou é o viciado perder a atração pelo sexo o.O
    Se alguém puder me esclarecer, agradeço desde ja.

  • João Junior

    Se for a opção número 2 é a mesma que “perda de interesse em atividades sexuais reais) e nesse caso seria um sintoma repetido listado.

  • É a opção 1.