1

Da dor à Glória

vício em pornografia

Bom, meus caros, é com imensa felicidade que hoje escrevo nesta sessão!

Antes de mais nada, gostaria de deixar meus sinceros agradecimentos ao Projeto, por essa iniciativa tão nobre e a todos os membros do fórum em geral, e alguns em especial, que citarei ao final.

Para que vocês saibam um pouco como isso tudo começou e de como eu cheguei até aqui, vou contar um pouco da minha história…

Lá pelos meus 7, 8 anos de idade, comecei a ter contato com o “mundo erótico”. Não demorou muito para que eu conhecesse de fato a pornografia, que, lembro-me bem, foi através revistas e, principalmente, com os programas de televisão da época.

Logo as coisas evoluíram, por volta dos 10 anos, já tinha visto inúmeras revistas e, aos 11, passei a ter contato com os filmes pornográficos, que na época se limitava a DVDs e a idas em lan house com uma duzia de pivetes tarados para acessar P escondido.

Aos 14, já possuía inúmeros DVDs e foi aí que eu adentrei na esfera da pornografia em banda larga.
Foi quando começou toda a minha ruína, que, tempos mais tarde, serviria de alicerce para que eu construísse meu próprio destino.

Os efeitos não tardaram a aparecer. Aos 15 anos eu era um adolescente extremamente ansioso, inseguro de mim mesmo e aos 16 eu experimentei pela primeira vez a DE.

Medo, angustia e insegurança tomaram conta de mim, como podia, um adolescente broxar? O que estava acontecendo comigo? O que eu tinha?

Como era de se esperar, a situação só se agravou. A cada transa eu já ia com a cabeça na broxada anterior e a ansiedade vinha forte, o resultado é o que todos já sabem…

Somente aos 17 eu consegui ter minha primeira relação sexual com penetração. Não foi nada do que eu imaginava, claro, minha mente totalmente fantasiosa, iludida e dominada pela pornografia. Tive uma ereção bem meia bomba e não consegui gozar, mas, apesar disso, me senti feliz.

Achei que não iria mais broxar, mas a vida me pregou mais uma peça. Doce ilusão, talvez meus problemas estivessem apenas começando e não tardou para que eu falhasse novamente e novamente fosse dominado por um sentimento de impotência, baixa autoestima e a ansiedade sempre presente.

Paralelo a isso eu estava me afundando cada vez mais numa coisa que jamais imaginara ser uma droga tão pesada. Passei a consumir gêneros cada vez mais pesados de pornografia, até mesmo categorias que não condiziam com minha orientação sexual.

Nesse meio tempo tive minha outra única relação sexual até então, mas o resultado não foi dos melhores… EP.
A partir daí, as broxadas ficaram cada vez mais constantes. Eu me apavorara. “Será que sou gay?” Nesse ponto eu já sentia os efeitos de uma HOCD (que não chegou a ser porque nunca tive paranoia com minha orientação sexual), por que não consigo ficar excitado quando estou prestes a fazer sexo? Por que a pornografia me excita mais que o real? O que eu tenho? Será que eu sou um individuo assexuado?

Sempre jogando as coisas para baixo do tapete, achando que estava passando por cima, que de uma próxima daria certo, mesmo assim, nunca deixei de tentar.

Anos se passaram e eu carregava minha frustração pessoal. Ninguém sabia, ninguém desconfiava, ninguém sequer imaginava. Logo eu, um cara tão extrovertido, nunca tive problema com as mulheres, muito pelo contrário, mas esse fardo pesava muito em minhas costas. Mas, nunca abandonei a pornografia, ela estava ali, se alimentando da minha fraqueza, um refúgio onde eu me escondia de mim mesmo!

2016, já com 19 anos, prestes a fazer 20, um outro episódio de DE me despertou para a realidade! “Eu só posso estar doente, não tem como. Chega! Não aguento mais, preciso procurar ajuda.” Passei a buscar desesperadamente uma solução para os meus problemas. E foi numa dessas buscas que me deparei com o fórum. Li o ebook em 1 dia, no trabalho mesmo, e aí me veio o estalo: “só pode ser isso, tem que ser isso. Me identifico com quase tudo narrado aqui neste livro, como não percebi todas essas coisas antes?”

E foi com muita vontade de vencer que eu peguei meu escudo e partir para guerra, sempre com o lema espartano marcado no peito e na alma: “Com seu escudo ou sobre ele”. Ali, na minha própria guerra, não havia a opção de desistir, não havia lugar para fraqueza, ou eu mudava a minha vida ou seria para sempre um fracassado.
Ingressei no fórum e meu contador já contabilizava desde o dia 20 de março de 2016.

Não sei se por ironia do destino ou por capricho divino, mas em Abril conheci uma pessoa que mudou totalmente a minha vida. Na nossa primeira tentativa de sexo falhei e resolvi fazer algo que jamais fizera antes: sentei e conversei com ela, falei do que tocava lá no fundo da minha masculinidade, que feria meu ego, e ela, com toda sua simplicidade, demonstrou uma reação que me deixara sem palavras, olhou nos meus olhos e disse: “é só isso?”, deitou no meu peito e a partir daquele instante eu pensei e não mais deixar aquela mulher!

A partir de então nossa relação só foi se fortalecendo. Ela esteve do meu lado quando eu estava no fundo do poço, ela dividiu comigo o peso que eu carregava nas costas, gritou palavras de ânimo quando eu temia desanimar, acreditou em mim quando nem eu mesmo acreditei, me deu forças para vencer o meu pior inimigo, eu mesmo!

Graças a Deus, a ela e ao meu esforço próprio, eu consegui completar o reboot e, acreditem, como num passe de mágica eu me vi livre da DE. Esse sábado tivemos nossa primeira relação com penetração, e a melhor noite de sexo da minha vida. Eu nem podia acreditar, o fantasma que um dia me assombrou não passava agora de uma lembrança vaga. Hoje me sinto um novo homem, capaz de tudo, totalmente confiante, sinto que posso dar o meu melhor em tudo que eu me dispor a fazer, hoje sou plenamente feliz.

Feliz por ser dono do meu próprio destino, feliz por ter uma princesa ao meu lado, feliz por saber que posso acreditar em mim mesmo! Eu posso, eu sou capaz, nada vai me parar!

Quero deixar meus sinceros agradecimentos aqui, em especial a Toguro, Blpr, Atirador Nordestino, Indiolouco, MS-Voly, Querubim, Senhor X, lucifer, toda a galera que me acompanha e que acreditou em mim. Nois tamo junto mano, o mundo é nosso!

Fonte: http://comoparar.forumeiros.com/t3445-pollinekes-da-dor-a-gloria

  • Geraldo

    boa soldado, quando li seu relato me identifiquei, comecei o meu agora estou com 22 dias pretendo ficar 90 dias e seguir adiante, vc ainda teve sorte de encontrar uma garota legal pois nem todo mundo tem essa sorte, queria ter essa mesma sorte mas vamos la.