Do cepticismo ao fim da Disfunção Erétil

Bmike1

CAMARADAS ALEM MAR

Eis mais uma simples história de sucesso relatada por um Homem céptico com 40 anos de idade.
Quero antes de mais agradecer publicamente, a TODOS os companheiros deste fórum pela ajuda e pelo apoio sempre presente que nunca me abandonou.

Para quem não me conhece sou o Bimike no forum e começo a escrever a minha história de sucesso após 150 dias livre desta maldição que sem saber me atemorizou durante três longas décadas.

Com apenas 10 anos de idade descobri sozinho o prazer da masturbação, e com ela o descarregar de emoções prazerosas e solitárias que me faziam viajar num mundo de fantasia erótica.

Sempre fui um patinho feio ou pelo menos era assim que me faziam pensar e como tal julgava que nunca iria encontrar uma mulher onde conseguisse enfiar o pato naquele buraco escuro e húmido que nos dava a medalha dourada em que constava já não ser virgem.

Enquanto adolescente foi assim a minha vida durante longos anos. Na altura somente existiam revistas playboys, que me deliciava a desfolhar manualmente em ambos os sentidos kkkkk.

Aos 17 perdi a virgindade com uma rapariga de 27 no hall de entrada do prédio onde ela residia. Não se pode apelidar pouco próprio para o efeito, mas, a alegria de poder dizer… Já não sou virgem era tal que tornou a situação mais engraçada ainda.

Neste tempo já havias filmes em cassete VHS, e claro muito dispendiosos, os poucos que havia… era até gastar a fita.

Aos 19 tornei-me militar e com a testosterona no top a situação já tinha mudado, pois de patinho feio, tinha virado um jovem bem aparentado elegante e com vontade de aproveitar tudo o que até então me havia sido negado.

Aos 24 apos ter recebido um leitor de vídeo VHS e de muitos filmes P visualizar aconteceu a primeira situação de DE… Inacreditável, a mim? Como era isto possível? Ri de medo e durante uma semana sempre a meio gaz com esta rapariga em que ela própria já não acreditava na fama que tinha… felizmente fiquei sem o videocassete e após essa semana tudo voltou ao normal…

Aos 27 já tinha estado com tantas mulheres que lhe perdi a conta, muitas delas serviam somente o propósito de elevar o meu ego por uma noite e no dia seguinte andava na caça novamente. Cheguei e passei os três dígitos de mulheres com quem tinha tido sexo e optei por mudar de vida. Casei com a mulher que conheci antes mesmo de me ter tornado militar e continuo até hoje muito feliz.

Escusado será dizer que, não obstante ter “sexualmente” estado com as mulheres que estive, a MO era presença diária e constante na minha vida, pois por muitas mulheres que tivesse, aquele momento solitário era só meu e tinha de ser esmifrado todo santo dia vezes e vezes sem conta.
Aos 30, entravamos assim na era da internet de banda larga e a acessibilidade a sites de P começou em debandada. Era necessário ter alguns conhecimentos para saber como os encontrar e aos poucos com chegada das redes sociais começou propagação generalizada dos sites específicos de P… era a descoberta do santo graal.

Aos 34 já era um expert na matéria e revirava tudo o que encontrava pela frente, dai até aos dias actuais já todo mundo aqui no fórum conhece.

O problema começou então a surgir… começou pela falta de vontade com a esposa… depois a ER… e para terem noção chegava ao cumulo de estar com ela mais de uma hora no truca-truca, ela gozar várias vezes até a exaustão, e eu sorrindo satisfeito (também eu esgotado) deixava-a adormecer e ligava o computador revirando os sites e lógico PMO… muita PMO mesmo.

Posso afiançar que chegava a praticar entre 3 a 6 por dia, sem nunca me dar conta que os ditos problemas de DE e ER advinham desta prática tão maliciosa. Pelo contrário… pensa eu que se conseguia uma erecção satisfatória com MO o problema com sexo real era físico…

Poucos dias após fazer 40 anos, um post no facebook me chamou a atenção… 50 perguntas e respostas frequentes sobre pornografia (capitulo 8 do E- book). Li e reli essas questões e de imediato uma luz se acendeu na minha cabeça… Putzzzzz afinal a minha DE e ER não era física, mas sim originada por excesso de pornografia…

Sem ainda ter lido o E-book, falei com minha esposa e lhe contei o que se estava a passar comigo. Nesse mesmo dia, procurei o e-book, li-o na integra e conjuntamente sentei-me à secretária e apaguei todo material porno desde filmes, históricos e link guardados. Afinal era a minha sexualidade que estava em causa. NEM HESITEI. Foi tudo de uma só vez.

Para terem uma ideia da minha determinação somente 2 semanas apos ter começado o reboot é que vizualisei o vídeo do Gary, e me registei no fórum.

Aproveitei assim a época do Natal para passar um mês em hard mode, nem sexo com a esposa… Sensivelmente após 40 a 50 dias de ter dado inicio e não esquecendo ter passado um pouco mal, desde insónias a flatline, mantive-me firme e sempre que pensava (…só uma vez…) abria o fórum e lia as histórias de quem tinha recaído e interiorizava toda aquela sensação de recomeçar tudo de novo. Ao mesmo tempo lia as histórias de sucesso e me imaginava como seria voltar a não depender de químicos para ter uma boa erecção e conjuntamente poder ter orgasmos com sexo real e não através da MO. A vontade passava e sentia que tinha vencido mais um dia.

Durante este período inicial do reboot o ceticismo ainda se mantinha, mas nunca pensei em vacilar. Estava decidido a ir até ao fim e depois poderia ter a minha própria opinião.
Decidi não instalar quaisquer bloqueadores pois para mim era a forma de poder ludibriar o processo. Inicialmente também não procurei por atividades extranet, e aí sim foi um erro pois tornaria o reboot menos pesaroso.

Pois bem, aos 80 dias até a minha esposa se ria de toda a confusão que indiretamente me tinha acometido ao longo destes últimos anos. A cada dia que passava sem ER era o ex-libris da nossa relação pois já fazia anos que eu precisava de dar uma mãozinha para ter um O. Ela SEMPRE me dando todo o apoio e sem nunca exigir nada.

A determinada altura ouvi e segui bons concelhos do Toguro, Blpr, Mario, Marcelo, W. Burk, Flag entre outros… tendo sempre mantido um bom dialogo e muito encorajador. Porém senti a necessidade de também dar alguns concelhos, e desde a A_Girl ao António71 um obrigado por me ouvirem. Mas ao Antonio71, tenho mais uma palavra dizer/agradecer; um grande apreço pois apesar de todos os desaires da vida, mantém-se firme. Grande Homem que me deu muita motivação para ser um exemplo.

Desta forma faltava apenas saber após este tempo todo qual era a sensação de MO. Então, criteriosamente decidi que após os 100 dias iria experimentar MO. Não me recordo ao certo, mas escolhi o 1º dia em que a esposa estivesse com a menstruação e assim fiz. Contei para ela que iria testar MO para saber como reagiria e se de que forma me iria afetar.

Nesse dia fi-lo duas vezes e sempre na memória das ultimas transas com a minha linda esposa sem ER/DE. Podem não acreditar, mas em nenhum momento me passou pela cabeça abrir um site de P nem tão pouco imagens desses sites. Incrível aquela sensação livre de pensamentos em abrir um site de P.

Passados a fase da menstruação (mais ou menos uma semana) queria ver como era com a esposa e tudo tranquilo e sereno. NADA de ER nem DE. Simplesmente uma sensação espetacular.

Decidi então para mim mesmo que caso pretendesse voltar a repetir o feito ( MO ) seria somente nestas condições (1º dia em que a esposa estivesse com a menstruação). O irónico é que já voltou a estar menstruada e não me deu a mínima vontade para MO. Mais uma sensação espectacular saber que não dependo mais de ter O. sozinho.

Hoje sinto-me um vitorioso, jovem e de novo e sexualmente activo, coisa que nestes últimos anos já quase não sabia o que isso era sem a ajuda dos ditos químicos.

Meus companheiros este é o resumo do meu reebot. E ACREDITEM… VALEU A PENA TER COMEÇADO SEM NUNCA OLHAR PARA TRÁS.

Um bem-haja a todos e nunca deixem a PMO tomar conta das vossas vidas NUNCA MAIS.

Fonte: http://comoparar.forumeiros.com/t3151-150-dias-do-cepticismo-a-realidade-sem-de-e-er