Finalmente consegui

vício em pornografia

Consegui, cheguei aos 90 dias. Três meses parecem muito pouco tempo, mas para quem está fazendo o reboot é infinitamente longo. Vou procurar fazer um relato breve e conciso para não cansar ninguém, mas antes queria deixar uma frase para quem estiver lendo: MAIS IMPORTANTE DO QUE CHEGAR AOS 90 DIAS É NUNCA DESISTIR, se recair em PMO levantar e analisar o que aprendeu no tempo em que ficou sem.

1990: comecei a me masturbar. Na época minha mente erótica fazia com que eu fantasiasse com outras pessoas (colegas de escola, vizinhas etc.) Atribuo tantas fantasias com tão pouca idade as influências da mídia brasileira.

1991-1996: devido à timidez eu fiquei a margem da pornografia. Não tinha coragem de ir alugar filme pornô, comprar em bancas de revista ou ir assistir em casa de colegas. Período de muita masturbação.

1997: Com 20 anos eu comecei a ler com freqüência uma revista chamada Brasil Sex Magazine. Lá tinha um negócio chamado classifisex (classificados eróticos) em que eu fiquei viciado. Uma coisa puxa a outra e logo eu comecei a alugar e comprar revistas, vídeos, etc. Perdi a vergonha literalmente. Considero isto a minha porta de entrada para o mundo pornô.

1998: Comecei a ter acesso à pornografia de banda lenta (discada). Na época as imagens demoravam a abrir e isto não me causou tanto prejuízo. Considerava normal e até salutar.

2000-2003: Fui me afundado em tudo que era relacionada à pornografia e internet: as famosas imagens .jpg, bate papo com imagens pornô e contos eróticos. Ainda não via vídeos porque eles não carregavam.

2004-2010: Os efeitos da procrastinação devido o excesso da PMO começaram a aparecer: faculdades abandonadas, empregos perdidos, namoros desfeitos.  Em 2008 eu comecei a ter acesso à banda larga (high speed) e daí a coisa toda decolou: comecei a ver vários vídeos pornô. Coincidentemente comecei a ter fantasias sexuais estranhas: sexo a três, imaginar uma ex-namorada com outro homem, fazer sexo virtual pelo telefone, etc. Minha vida estava girando em torno disso ao ponto que cerca de 80% do meu uso de internet era para a PMO.

2012: Devido ter arranjado um bom emprego em 2011, no inicio de 2012 eu fui morar sozinho e por conta da mudança acabei ficando sem internet por cerca de um mês. Parece que isso deu um START no meu reboot (na época não sabia o que era reboot). Nesse período eu comecei voluntariamente a querer parar com aquilo por conta de estar com um bom emprego, uma boa namorada, morando sozinho etc. Com vinte dias que estava sem PMO meu corpo começou a tremer e a suar e senti como que uma onda de frio percorrer minha coluna e uma vontade indescritível em praticar a PMO. Minha vontade estava condicionada. Estava adicto e não conseguia parar.

2013: Neste ano o meu vício em PMO e um problema que tenho desde os vinte anos (Transtorno obsessivo compulsivo- TOC) me fizeram procurar ajuda na religião. Eu me tornei cristão neste ano. Logo após isto, consegui passar quarenta dias sem praticar PMO, mas recai e mantive uma média semanal de recaídas (quatro por mês). Nesta época, mesmo vendo menos P, o meu escalonamento de temas aumentou: passei a ver zoofilia e homossexualismo, desenvolvendo então o HOCD.

2014: Este ano foi morno. Mantive uma média semanal de recaídas. Não conseguia passar mais do que uma semana sem ver. Mesmo assim nunca desisti. Minha esposa sempre soube do meu problema e nunca me acusou ou algo do tipo. Sempre me deu apoio e foi uma força importante para eu continuar lutando.

2015: Em Fevereiro eu estava praticando PMO e muito frustrado comecei a procurar pela internet e achei o fórum e o site, mas na época não dei muita importância, pois pensei que era um site como qualquer outro. Em Março voltei a encontrar o fórum e baixei o ebook, mas não li, pois li duas páginas e não gostei e o deixei de canto. Somente em Junho eu comecei a ler o ebook, o fórum, assisti aos vídeos do Gary Wilson e comecei a pesquisar. Isto deu um boom no meu reboot. Consegui ficar 83 dias sem PMO, mas recai ao final. Após isto, mantive uma média de 1 queda por mês.

Tive em torno de 120 recaídas ao longo de 4 anos. Foram mais de 100 dias de frustração, desespero, dor emocional e até física. Desenvolvi um problema na coluna (nos músculos ao redor), problemas intestinais, fora uma ansiedade gigantesca que juntando com o meu TOC fizeram com que minha auto-estima decaísse bastante.

O meu atual reboot: Desde o dia 12/12/2015 foi a última vez que tive uma recaída. Naquele resto de mês de Dezembro minha esposa estava de férias o que foi ótimo, pois ficar sozinho em casa é uma das piores coisas para quem esta fazendo o reboot. No início de 2016 passei a procurar participar do fórum o que se mostrou algo muito bom. Aprendi muito com a experiência dos outros rebooters. Destaco aqui os colegas Magrão, Blpr, Broda, Toguro, Burk, Back on the game, entre tantos outros.

No final de Janeiro/2016 eu comecei a ter vontade muito grande de praticar PMO. Chegava em casa e ficava tenso andando de um lado para o outro racionalizando e pensando em praticar PMO, mas consegui me conter. Foi o que me mostrou que minha vontade estava deixando de ficar condicionada, pois antes não conseguia. Em Fevereiro de uma forma geral foi tranqüilo. Minha esposa estava comigo no período de carnaval e a faculdade me tomou muito tempo.

Março/2016: Nos últimos dias do reboot (86,87,88,89) comecei a ter uma vontade incrível de achar que já estou curado e que posso controlar a PMO. Foram lutas muito grandes nos últimos dias. Parece que havia algo tentando me fazer parar. O lobo não queria morrer de fome; queria mais PMO. Pensei em controlar o uso de PMO assistindo pouco e em pouco tempo. Controlar os temas a que teria acesso. Havia esquecido 3 coisas: 1) Uma vez adicto; sempre adicto. Nosso cérebro é diferente de pessoas que não se viciaram. 2) NOVIDADE é um termo da neurociência do vício, que mostra que a P de internet de banda larga é um poço sem fundo. Canibalismo visual contínuo. E 3) Outro termo retirado da neurociência do vício: Tolerância. O cérebro se acostuma e logo você esta escalonando para temas horríveis, que não condizem com sua pessoa.

Meu agradecimento especial vai para: DEUS. Se não fosse a minha fé eu não conseguiria ter me curado. Deus, a partir de sua Palavra, do amor de minha esposa e da iluminação que deu ao colega PROJETO para criar este fenomenal ebook como atitude emergencial, que ajuda a tantas pessoas.

Consegui. Obrigado Senhor!!!!!!!!

Fonte: http://comoparar.forumeiros.com/t2794-canaa-finalmente-consegui