A jornada de um Cavaleiro

parsifal

Vou relatar aqui a minha história. Espero que ajude as pessoas que a lerem a perseverarem no reboot. Os benefícios são reais e não são poucos!

Sempre fui muito tímido e introvertido. Tudo em se tratando de vida afetiva pra mim foi tardio. Só beijei pela primeira vez com 21 anos e sempre tive uma tendência muito forte a fantasias. Aos 15-16 anos chegava a gravar fantasias que tinha com meninas da escola ou do meu prédio e ouvia tudo depois me masturbando, ou gravava enquanto ia falando e me masturbava.

Quando tinha 18-19 anos, conheci os chats eróticos pela internet. Ficava horas e horas em algumas salas, conversando com pessoas que provavelmente nem eram reais e fantasiando situações, ou então me passando pelo que não era. Hoje vejo o quão vergonhosa era essa postura.

Depois passei para o msn, e a trocar fotos. Os fetiches foram crescendo e parecia impossível me ver livre deles, por mais que me deixassem desconfortável moralmente. Me sentia culpado, mas isso não levava a nada e seguia me masturbando.

Veio a era da banda larga, e comecei a acessar vídeos de pornografia. Nunca fui compulsivo com vídeos, ficava às vezes meses sem assistir, mas a compulsão com chats e fantasias seguia e, enquanto isso, não conseguia firmar relação com nenhuma garota. Cheguei aos 30 anos ainda virgem e começou a bater um desespero.

Foi aí que conheci uma garota por quem me apaixonei perdidamente. E na hora H o que houve? Nada da lança de cavaleiro subir. E ela tentou de todas as maneiras, fez oral, me masturbou e nada por vários minutos. Ela ainda disse pra eu relaxar, procurou me tranquilizar, e chegou a ficar meia bomba. E assim foram as duas relações seguintes. Logo murchava. As dificuldades pra colocar camisinha eram grandes, e chegou num ponto que não conseguia mesmo, a ereção já meia bomba parecia que estava piorando. Eu saía com a menina, mas seguia nas sessões de masturbação, fantasiando sobre ela e sobre outras garotas conhecidas ou atrizes e modelos.

O relacionamento, que nem chegou a ser relacionamento de verdade, acabou terminando. Ela disse que não sentia o mesmo que eu sentia por ela, que não seria minha namorada, que me via mais como um amigo, e fiquei arrasado. Acho que meu péssimo desempenho sexual com certeza contribuiu para o tesão dela por mim murchar.

Foi aí que me afundei de vez, e passei a acessar pornografia mais pesada. Não via todos os dias. Mas quando via era pesada. Enquanto masturbação era todo dia, a não ser quando chegava num ponto que meu pênis ficava meio machucado e apresentava feridinhas de tanto que era usado. Aí não tinha como continuar. Fui percebendo que os orgasmos eram cada vez mais insatisfatórios.

Mas não conseguia encontrar motivos pra disfunção erétil, sempre fiz exercícios, malho, minha alimentação é balanceada.

Até que descobri um vídeo do padre Paulo Ricardo falando sobre males relacionados à pornografia e à masturbação. E a argumentação dele era extremamente sólida, abordando não só o ponto de vista religioso, como primeiramente o científico. Foi por indicação dele que cheguei ao site “Your brain on porn” e depois a este fórum.

Desde então muita coisa mudou e melhorou. O reboot, mesmo com as dezenas de quedas que tive, foi enfraquecendo as conexões do vício. Cada vez menos via imagens, vídeos ou me masturbava. Me distanciei da pornografia pesada. Cortei redes sociais, nunca tive whatsapp, para evitar gatilhos, e passei a me socializar mais, me aprofundei na meditação, o que me ajudou a ficar mais firme contra as armadilhas da mente. Por fim, no meio do ano passado, consegui uma namorada! Smile

O namoro fluiu extremamente bem. Ela é super compreensiva e companheira, uma mulher de ouro. Conheci o que é amor de verdade. E eu que era praticamente virgem comecei a fazer sexo todos os finais de semana. Às vezes ficava triste com ereções meia bomba, mas aos poucos começaram a melhorar e muito. Enquanto isso, procurava compensar caprichando no oral e nos toques e carícias.

Atualmente, também graças a exercícios de fortalecimento do períneo, tenho uma ereção boa e consigo controlar a ejaculação, gozando no momento que quero. Fantasias às vezes afloram, mas consigo afastá-las e me manter bem no ato. A namorada elogia constantemente meu desempenho sexual Smile

Outras áreas da minha vida também melhoraram, hoje procrastino muito menos.

Concluo reiterando o que coloquei no começo do texto: persistam no reboot! Vale muito a pena.

Agradecimentos especiais aos companheiros com quem mais conversei nesta jornada, Blpr, Mestre Yoda, Mário viera, Marquinhos, Flag, Raskolnikov, Belphegor, Toguro, Anonymus, Ahran, e peço perdão se estou me esquecendo de alguém! Minha profundão gratidão também ao Projeto e ao Magrão, a esses dois pioneiros em uma questão de saúde pública que deveria ter muito mais atenção no Brasil.

Um grande obrigado a todos!

Fonte: http://comoparar.forumeiros.com/t3269-parsifal-a-jornada-de-um-cavaleiro