Vício em masturbação existe mesmo?

Por: Rafael Rossi
Por: Rafael Rossi

Psicólogo

Como parar hoje?

Entre para nossa lista e receba Dicas Exclusivas sobre como  parar com o Vício em Pornografia ainda hoje →

 

Vício em masturbação existe mesmo?

Entenda exatamente no que consiste o vício em masturbação e o que você deve fazer para superá-lo  desde uma abordagem neurocientífica.

 

Vício em masturbação

Se você está lendo este artigo é porque possivelmente está passando pelo problema do vício em masturbação. Ou então tem alguém muito próximo que talvez esteja sofrendo com isso ou então tendo grandes dificuldades para largar o hábito de se masturbar.

Antes de tudo, o que é preciso saber para se libertar do vício em masturbação é entender o que está por trás desse vício.

Existem muitas informações distorcidas e imprecisas espalhadas pela internet que mais atrapalham do que ajudam as pessoas a entender o problema. Exatamente por isso é preciso desfazer alguns mitos sobre o assunto.

O primeiro deles é sobre a própria existência de tal coisa como um “vício em masturbação”. Você pode até ficar um pouco surpreso com o que eu vou lhe dizer agora, mas a resposta para a pergunta: o Vício em masturbação existe mesmo? É não. Isso mesmo. Vício em masturbação não existe!

Do ponto de vista neurocientífico não existe nenhuma evidência de que alguma pessoa possa ser viciada em masturbação ou até mesmo em orgasmo de forma direta.

Em outras palavras: o simples fato de você se masturbar periodicamente não caracteriza a existência de um vício em masturbação (veja mais abaixo a explicação detalhada do porquê isso acontece de um ponto de vista científico).

No entanto, se você está sofrendo com este problema, se masturba com frequência, inclusive mais de uma vez por dia ou então várias vezes por semana e não consegue parar sozinho com o hábito de se masturbar, então é óbvio que tem algo errado aí.

O fato é que muito provavelmente você esteja viciado, mas não viciado em masturbação propriamente dita e sim viciado em pornografia!

 

Porque confundimos o Vício em Pornografia com o Vício em Masturbação?

Vício em masturbação

Nós confundimos o vício em masturbação com o vício em pornografia por várias razões.

1ª Razão

A primeira delas é que não costumamos desassociar o hábito de ver pornografia do hábito de se masturbar. Geralmente quando estamos consumindo pornografia, nós a consumimos nos masturbando também.

Esse fato fez com que pareássemos (associássemos) as duas e passássemos a enxergá-las como sinônimos, não percebendo que são duas atitudes diferentes.

Isso ocorre também porque reforçarmos a primeira através dos efeitos prazerosos da segunda.

2º Razão

Caso você seja homem, a segunda razão é que diferentemente das mulheres que mensalmente expulsam as células sexuais femininas (óvulos) naturalmente através da menstruação, nós homens não fazemos isso de forma natural.

O excesso de sêmen acumulado e o desconforto que isso causa, volta e meia nos impele a querer expelir essas células não utilizadas pelo organismo.

E quando não podemos fazer isso naturalmente através do ato sexual, o fazemos de forma artificial, ou seja, através da masturbação.

Mas assim como no caso da menstruação esse impulso natural por si só não pode ser caracterizado como um vício.

3ª Razão

O Terceiro motivo é que não entendemos como funciona o ato de se masturbar de um ponto de vista neurocientífico.

Então imaginamos que tanto o ato de nos masturbamos como o ato de assistirmos pornografia são mais ou menos a mesma coisa. O que é um erro.

De um ponto de vista fisiológico eles são processos diferentes e funcionam de formas diferentes. Sendo o entendimento de como isso funciona um ponto fundamental para a solução do problema.

 

Pornografia x Masturbação do ponto de vista Neurocientífico

Vício em masturbação

Como explicamos detalhadamente no Programa Revert, o vício em pornografia está diretamente associado com a desregulação no sistema nervoso de uma substância química conhecida como dopamina.

A dopamina funciona como um “desejo intenso por novidades”. Quanto mais dopamina liberada no sistema nervoso, mais desejo por novidades você vai ter.

Isso porque essa substancia existe para ensinar ao cérebro que as novidades “são boas e úteis” para ele de um ponto de vista evolutivo.

Pense nos nossos antepassados. Explorar novos territórios, novos alimentos, diversificar nosso material genético, sempre foi fundamental para a nossa sobrevivência.

E o nosso cérebro não se alterou tanto assim desde alguns milhares de anos para cá. Sendo que a dopamina tem essa função de alertá-lo para esse tipo de situações.

Dopamina x Opiódes

Já a masturbação e o orgasmo estão associados diretamente com outra substancia, os “opióides”. Os opióides têm mais a ver com a satisfação do desejo do que pela busca por novidades.

Ele avisa o organismo que ele conseguiu o prêmio evolutivo que ele estava buscando. Os opióides dizem algo como “chega já estou satisfeito” para o organismo. Um recado totalmente diferente daquele que é dado pela dopamina.

É por isso, quem está viciado em pornografia não está viciado em masturbação ou em orgasmos, mas sim em novidades. Ou seja, em pornografia, que pode existir também sobre a forma de fantasias mentais e não apenas vídeos e imagens propriamente ditos.

É por isso que se a pessoa tem problemas com a masturbação, ou acredita estar viciada em masturbação, possivelmente é porque ela tem problemas com a pornografia.

Isso porque não existe nenhuma razão evolutiva para o seu organismo a viciar em masturbação.

Pornografia = Fantasias

Se você dúvida disso, faça um teste. Tente se masturbar sem pornografia e sem fantasias para ver o que acontece com a sua motivação para o ato e com o seu “vício em masturbação”.

Como explicamos anteriormente, uma das razões para você se masturbar é expulsar as células sexuais não utilizadas por você do seu corpo. Só que isso simplesmente não te torna “viciado em masturbação”.

A outra razão é que associamos a pornografia e as fantasias com a masturbação.

Como elas percorrem caminhos neurais semelhantes aos da pornografia, pensamos ser a mesma coisa, mas nesse caso, por definição, o vício em questão seria o de pornografia e em fantasias e não um vício em masturbação.

 

Vício em Sexo ou Transtorno de Hipersexualidade

Vício em masturbação

O vício em masturbação ou o vício em pornografia também não devem ser confundidos com o vício em sexo ou com transtorno de hipersexualidade.  Esses transtornos são bastante raros na população e são diagnosticados através de outros critérios.

Se você consume pornografia periodicamente assim como a maioria das pessoas, seu vício é em pornografia e não vício em masturbação ou vício em sexo.

Na dúvida, faça o simples teste de ficar sem consumir pornografia durante alguns meses. Se você não conseguir fazer isso sem esforço é porque possivelmente está viciado em pornografia e não viciado em sexo ou masturbação.

 

O problema das teorias equivocadas sobre o vício em masturbação.

Vício em masturbação

Atribuição de falsa causalidade

O primeiro problema de confundir o vício em masturbação com o vício em pornografia, é que se você tentar abandonar o seu suposto vício em masturbação sem abandonar a real causa do problema que é o consumo de pornografia, você não irá conseguir abandonar o hábito de se masturbar à longo prazo.

Pior, você continuará a alimenta o seu cérebro com o conteúdo que o torna viciado, achando que isso resolverá a questão, enquanto na verdade estará agravando-a.

Pois o que alimenta o vício em masturbação e cria a compulsão para o ato de se masturbar é justamente a própria pornografia ou então as imagens e fantasias mentais acumuladas por anos de consumo de pornografia e não o simples ato físico de se masturbar.

Perda de tempo

O segundo problema, é que se você estiver fazendo o reboot de pornografia e você tiver um reset em masturbação, mas não em pornografia, poderá acreditar que colocou todo o experimento a perder, sem ter feito realmente isso, o que atrasará a sua recuperação.

Resetar o contador incorretamente e sem necessidade pode ter um efeito psicológico negativo que pode induzir a pessoa retornar imediatamente para a pornografia e de lá nunca mais sair.

O que seria mil vezes mais prejudicial para ela em termos neuroquímicos do que praticar a masturbação limpa de vez em quando, caso seja necessário ou caso ela não consiga ficar tanto tempo assim sem ejacular.

Auto-Engano

O terceiro problema é que você estará tentando tratar um distúrbio que não existe. O que é totalmente disfuncional e que só o afasta do real problema que como já falamos várias vezes aqui, é a pornografia e somente ela.

 

E então? Como se libertar do vício em masturbação?

Vício em masturbação

Para se libertar do vício em masturbação, você deve proceder da mesma forma que faria para se libertar do vício em pornografia. Ou seja: você deve e fazer o reboot de pornografia.

Quando através do reboot você abandonar o vício em pornografia, o vício em masturbação será eliminado por extensão.

E mesmo que eventualmente você se masturbe sem pornografia, isso por si não será percebido por você como nocivo, uma vez que você não irá sentir mais a compulsão para o ato, muito menos os sintomas desagradáveis da época em que você consumia pornografia, estando, portanto, livre deste problema.

 

 

Como parar hoje?

Entre para nossa lista e receba Dicas Exclusivas sobre como  parar com o Vício em Pornografia ainda hoje →

Talvez possa lhe interessar:

Conheça o nosso Método oficial de 3 Simples Passos para Você Se Livrar do Vício em Pornografia – E Nunca Mais Voltar Para Ele!

Compartilhar
Twittar
Email
WhatsApp