Relato: Renovação de vida

Relato:

Vou começar minha história por partes, talvez seja longo o bastante para que você possa ler na agitação do trabalho ou na correria do dia a dia, mas não me importo, porém atento-o para fazer uma coisa de cada vez, ou seja, esteja 100% focado naquilo que te importa naquele momento.

Atualmente tenho 31 anos, solteiro, sem filhos e digamos assim com uma carreira “estagnada” devido a PM, a qual hoje faz exatos 74 dias(14/05/2017) . Hoje estou reerguendo minha vida pessoal e profissional, e sinceramente valeu muito a pena ter dado uma volta em direção à vida normal de um homem honrado e que tem ambições saudáveis na vida.

Como conheci a pornografia?

Meu primeiro contato foi acredito aos 6-7 anos de idade numa cabeleireiro onde esperava minha vez para cortar o cabelo, quando vi algumas revistas e vi que uma delas havia sido deixada por um rapaz e que a colocava embaixo de todas as outras em forma de pilha de revistas variadas. Nessa idade a curiosidade é monstra, e muito tímido, olhei ao redor e vi que ninguém me observava, então criei coragem peguei a revista e fiquei lá abismado com o que via, digo, praticamente alguém que tinha entrado num grupo selecto para conhecer algo “extraordinário” que apenas os homens adultos podiam ver. Essa foi a primeira vez que conheci o pornô em revista, talvez tenha sido a Sexy ou Playboy, não me recordo com exatidão, mas era uma revista das mais vendidas naquela época.

Naquela época a Internet ainda era recente no Brasil, lembro que ainda era bastante restrita às universidades do país e nem computador eu possuía.

Naquele tempo computador era o preço de um carro popular e a internet não era banda larga ( High Speed), talvez por isso a molecada daquela época não se “viciava” como atualmente ( a partir do século XXI ) onde se “popularizou” no Brasil a banda larga.

Devido às circunstâncias do poder aquisitivo da época (naquele tempo pertencia à classe média baixa), da internet lenta( ADSL, linha discada) e dos valores morais ainda antes dos anos 2000( na minha cidade, o cara da banca que vendia revistas era “caxias” com razão, não vendia revistas para menores, que inclusive era e ainda hoje é crime, porém hoje os valores morais da nossa sociedade está muito debilitada).

Talvez pelos 3 motivos mencionados anteriormente eu não tenha nessa idade( 7 aos 14 anos) entrado no vício.

Aos 15 anos tomei coragem e fui na banca de revista comprar em outro “fiteiro” uma revista que vinha um CD com vídeos eróticos. Naquele momento conheci  um mundo diferente, algo que não estava presente em meu cotidiano. Mas não me viciei, pois meu dinheiro era restrito e pasmem eu era muito ingênuo, tímido e calado, comecei a me masturbar apenas após os 21 anos de idade( conto parte dessa história daqui a pouco).

Toquei minha vida( 14 anos 23 anos)com muitas restrições, o tempo que possuía era para ajudar meus pais num pequeno comércio e com a vida de estudante, depois universitário, estagiário e depois trabalhando em uma empresa. Durante essa época eu não tive nenhuma namorada, ficante, talvez devido a uma vida conturbada dos meus pais isso possa ter me afetado, não vou entrar em detalhes, mas acredito que eu tinha algum bloqueio psicológico na época. Não que eu quisesse ter uma namorada, mas basicamente talvez meu orgulho bobo que ajudava sei lá… kkk… nem eu sei como explicar….. ( …….) … melhor partir pra próxima etapa…

Aos 22 anos conheci uma mulher de outro estado pela internet e me apaixonei perdidamente VIRTUALMENTE kkkkkkkkk, até hoje tenho contato dela no face rsrsrs… hoje vejo quanto eu era ingênuo…no final vi que perdi uns 2 anos falando com uma mulher 10 anos mais velha q eu, porém a mesma era bonita sim… mas adentrando no mundo… deu uma loucura na cabeça e foi a primeira vez que me masturbei na vida, porque eu sinceramente não sabia o que era a sensação daquilo, e além de tudo eu era virgem…. me masturbei pela primeira vez… e nessa primeira vez foi pela webcam para a mulher por quem me apaixonei…. ela ficou surpresa e gostou… aquela “putaria” toda rsrsrsrs… não vou entrar em detalhes…

Depois dessa primeira vez… outras viriam com o uso do notebook no quarto, nessa época já possuía internet banda larga e eu era muito bom na área de informática, então era muito fácil achar o que eu queria….seja vídeos picantes ou qualquer outra porcaria que a internet tinha para oferecer….

Nessa época, minha vida estava já “ mudada ”, não tinha mais a mesma alegria e vitalidade de antes. Sempre fui muito cético com as coisas, então eu buscava sempre em livros, fóruns da internet aprender coisas e entre essas “coisas” segue a relação abaixo:

Livros de auto-ajuda
Livros de relacionamentos interpessoais
Em menor quantidade ( livros religiosos)
The Secret ( um livro da época) …
Fóruns de Sedução ( afinal, eu era muito ruim com as mulheres, queria saber o “segredo” kkkkk de “ Como levar uma mulher para a cama”
Vou citar alguns livros ( The Game – O Jogo, The Mystery, todo esse arsenal de cultura de sedução)
Alguns fóruns ( A real, Homens Honrados)

Entre as coisas citadas acima, algumas me serviram de fato para conhecer o mundo obscuro das mulheres, outros não me levaram a caminho algum, aliás eu estava sabotando minha vida ou melhor perdendo a chance de viver a vida.

Minha primeira experiência sexual foi aos 26 anos, algo muito tardio, e sim foi com uma “esquerdista” do caramba kkkkk, mas era boa de cama,  mas só nos encontrávamos para sexo casual, nada além disso. E com o tempo o sexo foi ficando mecânico… e chegou uma vez que inventei uma desculpa dizendo que meu pai tinha ligado dizendo que meu tio tava no hospital e precisava de mim lá, disse isso pq não aguentei naquele dia ficar muito tempo com mulher, senti uma tristeza e vazio espiritual tão grande que inventei isso… estava fazendo sexo como se fosse um ator pornô e eu não sentia prazer com aquela situação….

Depois dela vieram mais algumas, mas não foram muitas…

Os anos foram se passando e minha vida profissional e pessoal não avançava..

Morei um tempo só ( não vou entrar em detalhes para preservar minha identidade)… e depois de quase 2 anos voltei para morar com minha mãe… onde atualmente vivo… apenas para deixar claro… eu não deixei de morar só por razões financeiras…. decidir morar com ela para ver se minha vida tinha um melhor sentido…. estava me sentindo só e precisa pelo menos alguém para fazer “zuada” dentro de casa.

Hoje faz quase 5 meses que estou morando com ela, durante esse tempo tentei parar com a PM mas recai em umas 3-4 vezes além de umas outras 10 vezes antes de morar com minha mãe.

Hoje completo 74 dias sem PM e confesso que ainda há bastante coisa para que eu possa de fato experimentar no sentido de adquirir novas conquistas pessoais e profissionais, além de melhorar a minha vida e a dos outros em vários campos da vida.

Qual principal motivo  de eu ter parado com a  pornografia e masturbação ?

Dores de cabeça fortes e constantes.

O ponto chave FORTE o BASTANTE para que eu de fato parasse:

Há mais ou menos 1 ano e meio eu sentia dores de cabeça praticamente TODOS OS DIAS, havia dias que era insuportável, eu não conseguia fazer nada, estudar, “trabalhar”, inclusive isso afetou meus relacionamentos com muitas pessoas inclusive familiares.

Hoje tenho certeza que pelo menos 90% das dores de cabeça era devido a prática de PM, como o próprio livro cita a respeito da plasticidade do cérebro, acredito que isso tenha danificado de forma profunda meu cérebro. Para constar nunca fui viciado em nada, nem drogas nem álcool, mas na época nunca me passou pela cabeça que a prática de PM seria sim um vício, e hoje posso dizer sem sombras de dúvidas, minha vida era uma vida de sentimentos de muito fracasso, depressão, isolamento social e pensamentos bastante negativos. Hoje após os 74 dias sem praticar PM, minhas dores de cabeça sumiram e eu realmente espero que cada vez mais meu cérebro trabalhe melhor, ou melhor, a meu favor.

Lembro que durante esse 1 ano e pouco de dores de cabeça eu fui 2 vezes ao oftalmologista,2 vezes ao neurologista, e umas 2-3 vezes ao dentista  para saber de fato o que havia comigo, que doença estava causando minhas dores de cabeça.

Oftalmologista = Disse que minha visão era perfeita, não precisava de óculos algum.
Neurologista = Fez 2 ressonâncias de partes diferentes da cabeça, e nada foi detectado no exame.
Dentista = Tirei alguns “dentiqueros”, não sei a palavra científica, não sei se estou matando o português  hahahaha. Isso para saber se os dentes estavam afetando minhas dores de cabeça.

Nenhum diagnóstico clínico soube explicar as causas de minhas dores de cabeça.

Quais as vantagens de ter parado a prática do PM:

Vantagens de ter parado:

Maior paz interior, me refiro ao trabalho, aos pensamentos negativos/fracasso e a “networking” entre as pessoas, digamos que hoje voltei a ser de fato um ser mais humano.
A voz melhorou no sentido de chamar a atenção das pessoas, inclusive recebi elogios de várias mulheres.
Os pelos do rosto, barba, estão mais masculinos e com mais pêlos.
Sinto-me mais puro, ou seja, um ser humano realmente feito por Deus, que deu a sua vida por nós e nos fez perfeito. Se você é ateu ou não cristão, deixe de lado essa observação afinal não quero aqui catequizar ninguém, nem é meu intento, porém falo apenas da minha experiência pessoal e claro estou dizendo o que de fato passei/passo.
Quarto mais limpo, maior sentimento de organização
Procrastinação era MUITO grande tanto no trabalho quanto nos meus estudos, isso diminui bastante.
Sentimento de renovação e de vida nova, hoje percebo que de fato estava “doente”.
Me considero um homem bonito, mas não “galã” mesmo durante a PM, mas hoje após ter parado é notório que as mulheres dão mais em cima.
A pele também melhorou, talvez seja a energia vital desperdiçada na prática do PM.
O sentimento de comprometimento/disciplina aumentou no trabalho, sinto-me mais vivo para fazer o que deve ser feito além sentir que de fato estou contribuindo para melhorar a vida das pessoa, ou seja, um sentimento genuíno de preocupação com o próximo.
Mais paciente com as pessoas e com as situações desconfortantes, menor irritabilidade.

Quais os efeitos de se abster da PM?

Os efeitos conforme muitos relatos de usuários assim como as palavras contida no livro é de fato o que de fato observei. No meu caso, os efeitos de se abster foram:

Irritabilidade
Falta de paciência com as pessoas
Pressa
Agonia
Ansiedade elevada
Pessimismo
Depressão
Sentia bastante inveja das pessoas de “sucesso”

Por favor, peço-lhes que se atentem que os efeitos acima antes de parar também havia, porém com a abstinência esses efeitos tendem a aumentar em níveis mais elevados principalmente nos primeiros 30 dias, acredito que devido ao cérebro estar pedindo “socorro” da “droga do vício em PM”. Muitos relatam que a decisão de parar nos primeiros dias é angustiante, e concordo, os primeiros 15 dias é de um esforço fora do comum e durante os 30 dias a coisa começa a pegar pesado, por isso as dicas do livro para manter a mente ocupada é relatada como uma das formas de superar esses primeiros dias. Do dia 31 ao dia 60 ainda é bastante crítico a situação, por isso é tão difundido que você evite a todo custo ter gatilhos. Use bloqueadores de conteúdo no PC e no celular, evite grupos de whatsapp ou amigos que te mandam “nudes”, repense, essas pessoas que mandam coisas inúteis estão agregando algum valor na sua vida? ( diga com quem tu andas e eu direi quem tu és!)

Eu tive DE?

Não, nunca tive esse tipo de problema, porém percebi que com a permanência consequentemente da prática semanal ( 2 ou 3 vezes na semana) da PM o sentimento de prazer genuíno de fazer sexo casualmente com outra pessoa cada vez mais ia declinando, melhor dizendo fazer sexo com alguém seria quase um prazer “plástico”, “usou” aqueles pequenos minutos/segundos de prazer e não sentia praticamente NADA pela mulher que estava naquele momento comigo na cama.

Porque eu resolvi escrever aqui e também contribuir?

Bem, confesso que nunca fui digamos assim uma pessoa muito filantrópica, apesar de eu me considerar uma boa pessoa. Mas seria injusto comigo e com muitas pessoas aqui do fórum assim como o pesquisador Gary Wilson, nem ao menos eu dar meu depoimento para aqueles que estão nessa vida de sofrimento e de perda da vitalidade em praticamente todos os campos da vida.

O que me despertou para de fato parar com PM?

Por várias vezes tentei parar, geralmente minha prática não era tão intensa como muitos relatos que vi aqui no fórum, geralmente praticava de 2 a 3 vezes por semana, mas houve semanas que num único dia eu me masturbada umas 3 ou 4 vezes. Após o prazer momento, sentia um vazio interior tão profundo que muitas vezes doía na alma se é que existe essa expressão. Me sentia um derrotado, é como se você estivesse numa ilha, você avista um barco próximo e pensa que vai ser agora o momento de ser “salvo”, mas o barco dá meia volta e vai embora. É assim, uma experiência de prazer e logo após frustração com o ato da masturbação.

Percebi que com o tempo a procura por vídeos no Redtube deixava de ser aqueles vídeos mais “tranquilos” para algo mais “hardcore”, sexo entre várias pessoas, mulheres mais velhas, lesbianismo, sexo com pessoas vestidas de santa e de padre, sexo com pessoas mijando uma nas outras, coisas muito pesadas mesmo. As coisas tinham tomado proporções cada vez mais “loucas” por assim dizer. Lembro que cheguei a pensar em assistir vídeos entre homens, porém como sempre fui muito firme em muitas posições, pensei por um instante e me veio à cabeça “ Que porra é essa? Eu sempre gostei e me relacionei com mulheres… será que eu estou com algum problema? Esse foi um dos “gatilhos” para eu repensasse para onde estava indo minha vida. Para àqueles que não sabem o significado de gatilho, posso assim defini-lo como tudo aquilo que te faz “despertar” para algo de seu interesse, seja ele do bem ou do mal. Um gatilho pode desviar você para um caminho correto, incerto ou mesmo errôneo. Quando o livro relata que devemos em quase que absoluto evitar gatilhos, o mesmo está dizendo para que nos livremos de situações onde poderá despertar em nosso cérebro situações de alta sexualidade como por exemplo, cenas de alto poder de sedução, programas de tv que estimulam o sexo ou mesmo a prática, filmes eróticos, contos/livros eróticos,  ambientes sociais até mesmo como bares onde há muitas mulheres usando roupas muito curtas, situações nesse nível.

Sempre fui orgulhoso em praticamente tudo na vida, talvez porque minha vida nunca foi “fácil”, desde adolescente tive que batalhar por tudo que possuo hoje. O orgulho não é algo bom, confesso, pode te ajudar em muitas situações, porém na maioria delas não é bom tê-la por perto. Eu não reconhecia a prática da masturbação como um vício, logo eu era orgulhoso, não queria ajuda de ninguém, aliás eu sabia que havia algo de errado comigo, porém eu sempre fui aquele tipo de sujeito que eu mesmo encontraria todas as soluções para meus problemas, talvez a falta de um “amor” de pai não tão presente tenha me feito encarar a vida assim, sinceramente não sei, o que sei é que sempre tive a determinação de ser responsável sobre tudo o que ocorria comigo, ou seja, dando certo ou dando errado, aqueli era resultado  das minhas escolhas, por isso que falei que eu era muito orgulhoso, hoje ainda tenho isso, porém com menor intensidade.

Muitas vezes temos um problema e não buscamos ajuda.

Como falei, eu tentei parar várias vezes, porém sem sucesso algum, lembro que inclusive cheguei a ficar de joelhos e chorar, coisa que raramente aconteceu na minha vida, se chorei na vida por algo nesses 31 anos de vida eu poderia contabilizar em apenas 3 vezes, e essa foi a vez que postei de joelhos no chão, e como cristão que sou, e por favor, eu não era um cristão fiel aos ensinamentos de Cristo, daqueles que seguem a risca a prática. Pois bem, nesse dia perguntei a Deus que me dissesse porque eu sofria tanto, por qual razão eu não era feliz, foram tantas as perguntas, lágrimas correram de meus olhos caindo em minhas pernas e joelhos, eu estava num estado tão crítico que até naquele momento minha fé estava abalada, cheguei inclusive a duvidar do Poder de Deus.

Bem, mesmo após essa situação, NADA aconteceu. Me sentia péssimo e agora me perguntava porque eu estava naquela situação, por qual razão eu não encontrava uma saída.

Depois de um tempo ( alguns meses), resolvi pesquisar na internet/facebook sobre masturbação e sua prática, se era benéfico ou não. Foi então que descobrir um curso a respeito do mal da pornografia e da masturbação.

O curso é do Padre Paulo Ricardo, alguém que eu já conhecia pela abordagem de vários assuntos não só de religião como outros.

Como o padre informa desde o começo, o curso retrata o assunto do ponto de vista científico, inclusive citando o cientista Gary Wilson que tem um forum a respeito do assunto e senão me engano escreveu um livro. O padre também cita outras referências/livros de outras pessoas. São 4 vídeos todo o curso, e recomendo que assistam mesmo que você não seja cristão, porque a abordagem é científica, e não baseado em dogmas.

Ao final do curso é colocado a foto de vários atores e atrizes do mundo pornô internacional com o motivo da morte de cada um. Isso foi o que de fato mais me impactou, a grande maioria morreu de doenças( AIDS, etc), suicídio, assassinato,AVC, enforcamento, drogas(overdose),  quando não, de mortes fatais ou misteriosas, e sim, a grande maioria morreu muito novo, a maioria antes dos 35 anos de idade. Confesso que nesse momento do curso repensei a vida, todas aquelas pessoas perderam a vida por um mundo que a mídia antes os colocavam como “deus”, “superstars”.

Vê-se claramente que esse mundo erótico da pornografia é mundo sujo, pois leva-nos a perder nossa vida e a vida de nossa família. Então meus amigo, dê um passo em direção a sua cura, e não será fácil! Sem dor, sem glória! Então siga os conselhos de muitos aqui já relatados nesse fórum:

Faça atividades físicas com frequência, nem que seja correr no parque.
Evitem gatilhos de sexualidade
Tome banhos frios
Esteja ocupado em maior parte do tempo com coisas realmente úteis
No meu caso, gosto muito de ler, seja algo técnico da minha área ou uma leitura tranquila de fácil entendimento ou de desenvolvimento pessoal. Posso indicar vários livros os quais são realmente bons e que vão agregar algo na vida.
Esteja em ambientes familiares e com pessoas honradas e não pessoas do “mundo”, isso fará uma diferença crucial na recuperação

E para os cristãos, peça forças nos momentos mais delicados. Ele sofreu e morreu por nós na cruz, ele te fez perfeito da ponta dos seus pés a sua cabeça, ele te deu saúde para trabalhar e trazer o alimento para sua família, pense, reflita tudo que ele fez e faz por você. Seja forte o bastante para saber que tu estás na presença do espírito santo e ele te fortalecerá nos momentos mais críticos.

Hoje, aos 74 dias, não digo que nunca cairei novamente nesse mundo, mas com todas as pequenas vitórias que estou tendo dia após dia, posso dizer que existe uma pessoa antes e depois desse mundo, e eu escolhi um mundo novo de glória como homem, pessoa, ser humano, bom filho, bom profissional, alguém que hoje sinto orgulho de ter por perto, ou seja, de ter eu mesmo como alguém que pode melhorar não só minha vida como a de outras pessoas. Eu sinceramente desejo que você, camarada, repense qual a vida você quer para você após os vários relatos desse forum.

Peço desculpas se fui enfadonho ou muito longo nas palavras, de toda forma expus aquilo que minha mente conseguiu lembrar e dos detalhes os quais achei mais necessário.

Agradeço a todos que participaram dessa ajuda mútua, e se algum dia esse relato ajudar apenas uma única pessoa, eu já estou satisfeito, pois a essência do ser humano é ajudar os “irmãos”.

Um forte abraço.

Fonte: http://www.comoparar.com/t5102-renovacao-de-vida