Rumo ao verdadeiro sucesso!

reboot

Relato:

Boa noite!

Aviso que o texto será longo, pois sou bem detalhista e vou contar tudo o que me lembrar! Conto com a paciência de todos para lerem até o fim!

 

Parte I

Hoje estou aqui para contar um pouco da minha história, desde como cheguei à pornografia, até este exato momento, no qual completo 97 dias de reboot.

Na minha infância, fui uma criança falante e tinha muita facilidade de chegar nas pessoas. Porém, lá por uns 9 ou 10 anos, comecei a ter mudanças na minha personalidade e fui ficando mais tímido.
Ademais, na mesma época, comecei a sofrer bullying, pois, como meu pai foi um pouco ausente da minha educação, não adquiri tantas características que a sociedade julga como “masculinas” (essa maldita imposição de gênero, mas não vou discutir sobre o assunto aqui, evidentemente). Por conta disso, comecei a sofrer bullying, o que me ajudou a me tornar mais retraído.

Até uns 12 anos, tudo ia “bem”, mas alguns “amigos” (não os julgo e nem guardo rancor, pois sei que a pornografia é um engano e eles provavelmente não tiveram a intenção de me destruir) começaram a me apresentar putarias, claro, de maneira sutil e típica de meninos dessa idade – filmes do antigo Cine Privê da Band aqui, revistas da Playboy ali – e nisso, começou minha “aventura” nesse submundo. Eles começaram a me estimular a junto com ver P, a começar a me masturbar, dizendo o quanto aquilo era bom e tals…

De fato, minhas primeiras masturbações foram um êxtase – era um sentimento de algo novo e que me deixava feliz. Com isso, comecei a me submergir nesse inferno aos poucos – nem me lembro direito como, mas, quando percebi, aos 13 ou 14 anos, já era viciado em pornografia e não sabia.

No começo, foi com pornô hétero mesmo. No entanto, com a questão dos conflitos sexuais nos quais estou começando a superar agora, logo entrei na pornografia gay. No começo, aquilo que me excitava e não me fazia mal (ou não percebia)…

Me sentia super sacana e feliz por ter encontrado um “prazer”. Nessa mesma época, comecei a ir numa igreja evangélica, porém, não tinha me convertido, então essa dualidade pouco me afetava até então.

Contudo, aos 16 anos, resolvi ter um compromisso maior com Deus a daí começaram os conflitos, pouco a pouco. Não condizia para alguém que tinha uma crença ter um problema como o vício em PMO, pois é considerado “pecado”, etc. etc. e tal. Com isso, comecei a querer sair desse vício, além de perceber que realmente tinha um vício e aquilo estava ficando fora de controle.

Gradativamente, fui adquirindo depressão e, para piorar, essa questão da possível homossexualidade devido à pornô gay começou a piorar o meu quadro, pois, se nem no mundo as pessoas aceitam direito a questão lgbt, piorou na igreja evangélica, né!?!? HAHAHA

Enfim, a partir dos 19 anos, comecei a TENTAR lutar contra o vício mais de frente e pedindo a Deus para que Ele me “libertasse” do vício e da homossexualidade. Porém, sem ajuda de ninguém, pois não tinha coragem de contar pra uma pessoa sequer, e sem conhecer o método “Como Parar”, claro, não progredi. Pelo contrário, minha depressão só aumentou e vivi uma desgraça social – na igreja e no cursinho, era a chacota de todos, pois tudo isso acabou com minha autoestima e mal conseguia enfrentar as pessoas, além do transtorno de ansiedade e da fobia social que já eram minhas companheiras.
Enfim, vivi dias malditos e só não me suicidei – ou tentei, pelo menos – sabe Deus como…

Minha situação só começou a melhorar lá pelo início do ano passado, quando confessei a questão da PMO para a minha ex-líder de jovens e às duas esposas dos pastores da igreja que ia. Como já falei no meu diário, elas não me condenaram – pelo contrário, foram amorosas e me ajudaram – porém, aqueles argumentos religiosamente clichês do tipo: ”Vc tem que orar e resistir…”, “Vc precisa arrumar uma namorada pra adquirir desejo por mulheres”, etc., foram me enchendo a paciência, pq desejo sexual vc só SENTE e não escolhe.

Sei que talvez devesse ter procurado um profissional da mente simultaneamente – acredito tb que Deus faz somente aquilo que não podemos fazer ao nosso alcance. Todavia, não tinha coragem de contar a familiares – até hoje, eles não sabem – e minha mãe sobretudo é insuportável com essa questão de psicólogos, acha que depressão é “frescura”, etc. – então, só tinha essa única fonte de ajuda e ter q ouvir essas coisas, por favor né…

Apesar disso, não as julgo, pois sei que elas só reproduzem os dogmas que vêm de muito antes do mundo existir, rs… Quero deixar claro que não tenho nada contra religiões, só estou expressando minhas frustrações pessoais quanto ao assunto e espero ser respeitado quanto a isso.

Enfim, depois de três anos de cursinho, finalmente consegui passar no vestibular da Unesp esse ano – não sou de me abrir assim, mas como já disse pro Eye of the tiger que estudo lá no diário dele, não tem porque esconder – mas é claro que não direi meu nome e meu curso por questões óbvias de privacidade. E, sinceramente, essa foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida, em todos os sentidos!

Pude sair da igreja, o que já queria há algum tempo – me sentia pressionado por conta da família e, por conta disso, fui indo aos cultos, mas sempre com muita oscilação – tinha dias que queria ir, tinha outros que ia arrastado pq tinha compromissos lá também… enfim.

Ademais, estou me abrindo em relação à sexualidade, que era uma outra coisa que me sentia receoso de fazer pois, originalmente, sou de cidade pequena e nem preciso dizer sobre a língua do povo né, HAHAHAHAH

No entanto, o principal é realmente ter conhecido o método “Como parar”. Como isso estava me perturbando, decidi que ia parar com esse negócio de uma vez por todas e algum dia, pesquisando no Google, achei o e-book e conheci o Como Parar, o que definitivamente foi o ponto de inflexão pra que eu comece essa grande mudança em minha vida.

 

PARTE 2

Comecei a seguir o método “Como parar” lá pra maio desse ano. Meu primeiro “reboot” não foi oficial, pois não tinha lido direito o e-book e achei que, mais uma vez, podia ir com as próprias pernas. Ledo engano…

O meu primeiro reboot oficial foi em junho. Li o e-book e instalei bloquadores. No entanto, não bloqueei redes sociais. A recaída era inevitável e no dia 10 de julho, resetei.

A partir do 11, recomeçei com tudo e bloqueei redes sociais – o que estou mantendo até hoje. É claro que preciso usar o Facebook por questões da faculdade, mas prefiro não arriscar. Como disse o Toguro, GRANDE moderador e exemplo pra todos nós – detesto bancar o puxa saco, mas a verdade tem q ser dita né – em algum lugar aqui no fórum: “Prefiro ser escravo de bloqueadores do que escravo do vício. Desde já adianto aos novos rebooters – DURANTE OS PRIMEIROS 90 DIAS, ABSTENHAM-SE DE REDES SOCIAIS! Só usem em último caso e deem um jeito de fazer isso em lugares públicos ou, SE PRECISAREM, em casa, com limite de tempo e muito cuidado pq gatilhos para recair lá NÃO FALTAM. Quando vcs acabarem o tempo inicial, se precisarem voltar a usar, voltem, mas com consciência dos perigos que há lá.

Enfim, não foi fácil alcançar a tão desejada marca, porém aqui vão algumas dicas, além da supracitada:

– INSTALEM BLOQUEADORES IMEDIATAMENTE. Se vc começar o reboot sem bloqueadores, dificilmente vc durará intacto no processo por muito tempo – por 90 dias então… sonho erótico pra molhar a cueca! Nos momentos de frenesi, eles são essenciais pra conter o desejo por PMO e certamente te ajudarão a resistir e a terem um reboot mais eficaz. No pc, recomendo o k9 e o Kurupira e para smartphone, uso o Netspark Mobile, mas há outros como o AppLock e o Spin.

– INVISTAM EM MEDITAÇÃO. Para quem tem problemas de ansiedade e depressão principalmente como eu ainda tenho, isso é essencial. Vocês chegarão em casa estressados e vocês precisam descarregar o nervoso em algum lugar, senão vcs acabarão recaindo. No começo, será um marasmo, mas com o tempo, vcs começarão a se sentirem melhor… Pensem naquela história da beterraba – é péssimo e ng gosta, mas faz bem pra saúde…

– TOMEM BANHOS FRIOS EM MOMENTOS DE FRENESI. No começo, é terrível e vcs não sentem nada. No entanto, o cérebro naturalmente associará o desejo por PMO com os banhos e o fogo vai diminuir hahah, acreditem… Faço isso todos os dias e é muito útil.

– FAÇAM EXERCÍCIOS FÍSICOS. Assim como a meditação, é primordial vcs arranjarem algo que lhes deem prazer, até porque o vício em pornografia é algo que mexe diretamente com isso e, sem dúvida, os exercícios físicos fazem isso de maneira eficiente. Estou em dívida nesse aspecto, pois apesar de fazer caminhadas, quero fazer um esporte efetivamente pra canalizar ainda mais a energia sexual que está aqui em mim, rs… Quando voltar o meu semestre, é algo no qual correrei atrás, certamente…

Enfim, do mais, a receita principal é foco mesmo. Ressalto que foco por si mesmo não irá te segurar nos momentos de fissura, pois o viciado não pensa por si mesmo. Então, sem seguir as dicas acima ou outras que os demais rebooters lhes derem, será bem difícil vcs chegarem nos 90 dias. Mas é claro que se vc não tiver plena consciência dos seus objetivos, restrições x ou y só servirão pra reprimí-los ainda mais e não acredito que vcs durarão na luta por muito tempo tb.

Moro sozinho e posso dizer que foi mais difícil pra mim, pois minha vontade foi diretamente tentada… aquela questão do ego né, do tipo “não tem ng te vendo, se vc quiser cair, vc pode…”

Contudo, coloquei na cabeça o q queria e sempre que queria recair, me lembrava das infinitas recaídas anteriores e de como a PMO só iria piorar a depressão e o transtorno de ansiedade que, a muito custo, estou superando aos poucos… Com tudo isso e com a ajuda de Deus – não virei ateu embora não religioso –  consegui alcançar os benditos primeiros 90 dias e com eles, já sinto alguns resultados.

 

PARTE 3

Minha depressão e meu transtorno de ansiedade já diminuíram. Pra quem acompanha meu diário, sabe que tomo antidepressivos e eles têm me ajudado em partes – mas estou tentando me recuperar e parar com eles, pois como todo remédio, é DROGA e não quero ser escravo de remédios. Se Deus quiser, minha autoestima voltará e antidepressivos serão PASSADO na minha vida.

Como consequência disso, me culpo muito menos do que antes, quando faço algum erro e me olho com mais complacência. Mas ainda preciso melhorar nisso tb…

Objetifico muito menos as pessoas do que antes. Com a pornografia, vc olha o corpo humano como um meio de satisfação instantânea, não como parte de uma pessoa normal, com qualidades, defeitos, etc…

Embora ainda note desejo por homens, vejo que não fico mais vendo caras como meros trogloditas, cavalões que existem apenas para satisfazer o nosso desejo sexual. Sei que a questão da maioria dos rebooters é com as mulheres, mas pra quem é viciado em pornô hétero somente e é heterossexual convicto, pode ter ctz que essa mudança acontecerá com as mulheres que estiverem ao redor de vcs, posso garantir…

E o principal é o bem-estar e a paz interior de não fazer nada que lhe faça mal. Como disse, ainda estou superando minhas questões emocionais e claro que isso não é completo ainda. Mas garanto que o reboot foi o passo inicial pra isso.

Não estou no formato que eu quero estar, mas não sou quem eu era – e isso pra mim já é uma vitória e faz o método do Como Parar e o trabalho dos moderadores mais do que válido! Isso funciona e muda vidas! Mudou a minha e garanto com todas as letras que mudará a de vcs tb! Entrem no reboot e confiem no que se prega aqui! Msm que alguns sejam duros c vcs, saibam que isso é para o vosso bem. Dps, assim como eu, vcs agradecerão!

Uma coisa mais periférica, mas que é válido ressaltar, são a maior frequência de ereções, principalmente ao acordar, o maior aparecimento de pelos (não que eu goste muito, rs, mas é sinal de que a testosterona esta se regulando). Ademais, noto uma maior firmeza na minha voz – que é anasalada e sai fina algumas vezes.

Enfim, apesar de pequenas, são coisas motivadoras em relação ao processo…

PARTE 4

Planos para o futuro…

Como sempre ressalto no meu diário, 90 dias não é o fim, é só o começo!

Por conta disso, quero a cada dia manter meu foco nas principais diretrizes do reboot pra que os benefícios do “Como parar” sejam cada vez mais notórios na minha vida.

Em janeiro, abrirão as inscrições do CPA da Unesp. Não gosto de falar, pq é um centro que só está presente em 2 dos 24 campi da facul, então fica mais fácil vcs deduzirem de onde sou ou não, mas whatever… O fato é q, como universitário, não dá pra eu pagar por um profissional, então, dependo da boa vontade do Estado, rs… É um serviço mt concorrido, mas espero conseguir!

Como disse na minha parte 2 ou 3, pretendo começar algum esporte – preferencialmente Natação pela Atlética da Unesp mesmo… Tenho um porte físico já avantajado – embora jamais tenha entrado numa academia, hahahah e sei que a natação, junto com a saúde, irá me ajudar na questão do corpo Wink

Ademais, sei que com esses passos, principalmente o tratamento psicológico, sei que paulatinamente a questão da minha sexualidade se resolverá – verei se tenho HOCD ou não e conseguirei me definir.
Não pretendo falar mais nada sobre o assunto, pq isso é algo estritamente particular e já me expus muito no reboot e aqui nessa confissão, embora com a facul, eu já esteja tendo experiências afetivas com pessoas – do sexo oposto ou não – e isso tb irá me ajudar a resolver a indecisão…

Enfim, já fiz agradecimentos no meu diário e não quero ser repetitivo aqui. No entanto, deixo meu agradecimentos ao método “Como parar” e a todos que sabem que me ajudaram de alguma forma a chegar até aqui. Como já disse lá, minha vitória é de vcs tb! Smile

E, principalmente, espero ter servido como incentivo pra alguém que estiver lendo e espero profundamente que através da minha história todos se sintam encorajados a começarem ou continuarem o seu reboot…

Deixo minha torcida pra todos aqui e que o vício em pornografia cada dia mais seja só um PASSADO na vida de todos nós, apenas uma pedra que tivemos que pisar para que alcançássemos o nosso verdadeiro sucesso, que é uma vida sem vícios e livre de pesos e condenações!

Fiquem na paz e avante na luta contra esse vício maldito que é a PMO!

Abração a todos e boa noite! Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy

Fonte: http://comoparar.forumeiros.com/t4049-will-rumo-ao-verdadeiro-sucesso