Jovem e com Disfunção Erétil? Descubra Como Melhorar seu Desempenho na Cama e Acabar com a DE.

Por: Rafael Rossi
Por: Rafael Rossi

Psicólogo

JUNTE-SE A MAIS DE 32.786 PESSOAS:

Entre para nossa lista e receba dicas exclusivas de como  parar com o Vício em Pornografia ainda hoje →

Disfunção Erétil em jovens: se você é jovem, ou seja, tem entre 18 e 45 anos de idade e já apresentou dificuldades para obter ou manter uma ereção…

Se já chegou a experimentar remédios como o Viagra e Cialis, acredita que precisa deles para fazer sexo ou conhece alguém na sua idade que os usa…

Saiba que isso não é nada normal para homens na sua idade!

E na esmagadora maioria dos casos, a causa não está no seu pênis e também não é psicológica e nem originada por fatores tais como ansiedade, medo ou timidez como muitos “especialistas” tem dito por aí.

A causa pode estar no seu cérebro e ter relação direta com o seu consumo de pornografia.

Como isso é possível, desde um ponto de vista científico, é o que nós vamos te explicar à partir de agora.

Neste artigo você irá descobrir:

 

Porque os jovens estão recorrendo cada vez mais à remédios para ereção, como Viagra e Cialis?

Essas manchetes da BBC já dizem tudo:

Homens Jovens e casados estão evitando sexo e 36% dos adolescentes não estão mais interessados ​​em sexo”.

Isso só pode ser alguma espécie de brincadeira? Algumas décadas atrás, um adolescente que não estivesse interessado em sexo teria sido enviado imediatamente a um psiquiatra!

Um estudo de 2008 descobriu que 20% dos jovens franceses não estão mais interessados ​​em sexo.

No Japão o cenário é ainda pior. De acordo com uma pesquisa feita em 2012 pelo ministério da saúde do Japão, 36% dos japoneses com idades entre 16 e 19 anos, não tem interesse em sexo.

Na China, 36% dos internautas declararam preferir a internet ao ato sexual.

Na Inglaterra, a mesma tendência. Uma pesquisa de 2013 mostrou que a frequência com que os britânicos fazem sexo, caiu 20% desde o ano 2000.

No Canadá, pesquisadores descobriram que 53% dos adolescentes estavam tendo problemas sexuais, sendo que a Disfunção Erétil e a diminuição da libido foram os problemas mais relatados.

Em um estudo feito no Reino Unido, os cientistas descobriram que 60% das pessoas apresentaram sintomas de diminuição da libido e Disfunção Erétil para a pratica sexual real, porém não apresentaram esses mesmos sintomas para a masturbação com pornografia.

 

Quais as causas da Disfunção Erétil em jovens?

No Brasil, em um recente levantamento realizado pelo instituto GFK, sob encomenda da fabricante de medicamentos Medley, foi constatado que 1 em cada 5 homens de idade entre 22 e 30 anos já experimentou remédios para ereção.

Embora ainda não existam pesquisas relevantes acerca desse fenômeno no país, o consumo de remédios para ereção por homens saudáveis com menos de 40 anos está preocupando especialistas.

O Dr. José Cury, urologista do Hospital das Clínicas diz já ter visto casos de jovens de 12 anos, por exemplo, consumindo Viagra.

“O jovem toma o comprimido uma vez e se sente o Super-Homem. Aí inicia-se um ciclo em que o remédio se torna uma bengala e ele não consegue mais ter relação sexual sem estar medicado”

Coincidência?

Nos fóruns na internet é comum algumas pessoas se questionarem se elas não seriam “assexuadas?”.

Quando perguntamos à elas a frequência com que se masturbam ou consomem pornografia na internet, elas respondem: “1 ou 2 vezes por dia”.

Como alguém que se masturba e consome pornografia 1 ou 2 vezes por dia pode ser considerado assexuado?

Uma pessoa assexuada, por definição, não tem o menor interesse em sexo, muito menos em pornografia.

O que pode estar ocorrendo então?

 

O Vício em Pornografia pode estar por trás da Disfunção Erétil

De acordo com o jornal The Gazette, foi realizada uma tentativa de fazer uma pesquisa para comparar jovens em torno dos 20 anos que nunca foram expostos à pornografia com usuários de pornografia, mas ela fracassou por falta de homens que nunca viram um filme pornô:

“Não existem rapazes que nunca assistiram pornografia”

Foi o que concluiu o professor Simon Louis Lajeunesse da Universidade de Montreal, responsável pela pesquisa.

Apesar de bizarra, essa notícia pode nos dar uma ideia da dimensão e influência que a pornografia pode estar alcançando na vida dos jovens.

Textos eróticos, fotos e vídeos pornográficos já existem há muito tempo tanto dentro, como fora da internet. E eles eram inofensivos até então.

No entanto, diferente da internet discada do passado ou então das revistas Playboy de nossos pais, a internet de alta velocidade de hoje, possibilita um fluxo praticamente interminável de conteúdo.

Os jovens de hoje podem assistir pornografia em múltiplas janelas, procurar incessantemente por novos vídeos, avançar rapidamente para as partes mais interessantes, mudar para chat de sexo ao vivo e escalar para gêneros cada vez mais extremos de pornografia.

E tudo de forma gratuita, de fácil acesso, disponível em segundos, 24 horas por dia, 7 dias por semana, de forma praticamente anônima e ilimitada.

O problema aqui do ponto de vista da Disfunção Erétil, não é o conteúdo do pornô que você assiste, mas sim o grau em que ele estimula o seu cérebro com a dopamina.

Ebook - Como Parar Com a Pornografia Hoje?

Baixe Agora o Nosso Guia Gratuito e dê o Primeiro Passo Rumo à Reversão do Vício!

 

O que diz a Ciência sobre a Disfunção Erétil?

Na última década, os neurocientistas descobriram que o excesso de estimulação da dopamina tem um efeito paradoxal.

O cérebro diminui sua capacidade de responder aos sinais de dopamina, o que resulta num cérebro dessensibilizado e incapaz de responder à pequenos estímulos de prazer.

A dopamina surge com a novidade, especialmente a novidade sexual. Ela também surge para a “caça”, neste caso para o “filme pornográfico perfeito”.

A dopamina liberada pelas novidades evoluiu para fazer nossos antepassados ​​curiosos, já que isso era importante, pois assim eles procuravam novos territórios, novas fontes de alimento e talvez até mesmo novos parceiros sexuais.

Só que nos dias de hoje, um usuário de pornografia pesada vê mais fêmeas sexualmente ativas do que os nossos antepassados ​​puderam conhecer em toda a sua vida e o cérebro desse usuário não está adaptado à isso.

Pornografia na Internet é uma máquina de produção de dopamina. Com a pornografia na Internet você pode ficar bombeando a dopamina no sistema nervoso por horas sem parar.

Isso sequestra nosso mecanismo inato por novidade e caça e engana o nosso cérebro ao fazê-lo acreditar que a “caçada por novas parceiras virtuais e a novidade da pornografia” são extremamente valiosas.

Não há como comparar uma revista ou DVD alugados da locadora de antigamente com a novidade constante de dopamina proporcionada na era da pornografia da Internet rápida.

A pornografia na Internet absolutamente mudou as expectativas dessa geração.

Você está procurando um vídeo e depois do centésimo você jura que vai ser aquele que você vai gozar e você ainda não termina. Isso é muita quantidade de dopamina.

Seja qual for o seu gosto, há sempre alguma coisa nova online que é mais estimulante ou chocante.

O efeito disso à longo prazo é a incapacidade de obter uma ereção para uma relação sexual normal.

Em alguns usuários de pornografia, a resposta à dopamina está tão baixa que eles só conseguem alcançar uma ereção com a ajuda de vídeos pornográficos extremos.

Muitos jovens não percebem que a sensibilidade do seu cérebro está diminuindo em relação ao sexo normal devido exclusivamente ao seu consumo de pornografia.

E somente quando eles param de consumir pornografia e revertem esse quadro, que eles se dão conta do problema, como ocorreu com esse rapaz:

“Eu tenho usado pornografia fortemente desde minha adolescência e eu tenho problemas de Disfunção Erétil (DE) desde meus vinte anos, embora só recentemente (aos trinta anos) é que isso se transformou em impotência total na hora de transar. Eu culpava a desatratividade ou falta de novidade de minhas parceiras ou meu nível de condicionamento físico, a minha dieta, minha idade, o stress, a ansiedade de desempenho, um monte de coisas. Mas quando eu percebi que não podia mais mesmo me masturbar com orgasmo sem pornografia na Internet, algo acordou. A fonte dos meus problemas parece óbvia agora.” – Ex-usuário.

 

Pesquisas Científicas sobre Disfunção Erétil

Não muito tempo atrás, pesquisadores italianos escanearam os cérebros de homens com Disfunção Erétil.

Seus scans revelaram atrofia da massa cinzenta do centro de recompensa (núcleo accumbens) e nos centros sexuais do cérebro localizados no hipotálamo.

Perda de massa cinzenta equivale à perda de ramos de células nervosas e conexões com outras células nervosas e em redução do sinal de dopamina (reduzido excitação).

O estudo é uma evidência de que a Disfunção Erétil psicogênica nem sempre é causada pelo estado mental de um indivíduo em um momento particular.

Pode ser uma consequência de alterações no circuito de recompensas que resultam em sinalização de dopamina reduzida.

Isso pode ajudar a explicar disfunções sexuais induzidas por pornografia, tais como Disfunção Erétil e Ejaculação Retardada e por que tais sintomas geralmente exigem semanas ou meses para serem revertidos.

Norman Doidge, principal especialista da atualidade em plasticidade cerebral, está convencido de que o Vício em pornografia é real e resultado de mudanças estruturais que ocorrem no cérebro e de que ver pornografia pode sim causar Disfunção Erétil.

“Eu tenho tratado ou avaliado um número grande de homens e todos tinham essencialmente a mesma história: eles relataram dificuldade crescente em serem excitados por seus atuais parceiros sexuais, esposas ou namoradas, embora eles ainda as considerem realmente atraentes. Quando perguntei se esse fenômeno tinha qualquer relação com a pornografia, eles responderam que inicialmente a pornografia os ajudava a ficarem mais animados durante o sexo, mas ao longo do tempo teve o efeito oposto. Agora, em vez de usar seus sentidos para desfrutar de estar na cama no presente com suas parceiras, o ato sexual cada vez mais exigia que eles fantasiassem que faziam parte de um roteiro de filme pornô”. Norman Doidge

Ebook - Como Parar Com a Pornografia Hoje?

Baixe Agora o Nosso Guia Gratuito e dê o Primeiro Passo Rumo à Reversão do Vício!

 

Porque quase ninguém está falando sobre isso?

Por que ouvimos muito pouco sobre pornografia na Internet causando Disfunção Erétil?

Uma razão óbvia é que distribuição ilimitada de pornografia na Internet é um fenômeno relativamente novo e que avança rapidamente em termos de estimulação cada vez mais extrema.

E leva um certo tempo para que a Disfunção Erétil induzida pela pornografia se desenvolva. Ela pode aparecer de repente, apesar de que a deterioração é geralmente gradual, em muitos casos levando vários anos para se desenvolver.

Os usuários tendem a não perceber que estão desenvolvendo problemas, porque eles podem facilmente avançar para uma linha ainda mais extrema de pornografia e achar que isso é um indicio de “potência sexual”.

Sem falar que os homens não conversam entre si sobre a questão. Quem quer admitir para seus amigos que têm impotência aos vinte e poucos anos de idade?

Além disso, a publicidade generalizada de estimulantes sexuais como o Viagra e Cialis criou a impressão de que a Disfunção Erétil crônica é normal.

Na verdade, antes da pornografia na Internet existir, impotência crônica era muito rara até a idade de 40 anos e praticamente desconhecida entre adolescentes de 20 anos.

E os profissionais de saúde podem não ter consciência de como a pornografia na Internet com a sua novidade constante e variedade infinita está afetando o cérebro dos homens.

Isso porque historicamente, os especialistas foram treinados para pensar que a impotência na adolescência é fruto da vergonha ou da culpa ou algum outro problema psicológico.

Se isso fosse a causa da disfunção erétil em jovens de hoje, seus sintomas teriam aparecido logo quando eles começaram a se masturbar.

Os especialistas estão cegos, porque as poucas pesquisas já publicadas sobre o uso da pornografia da internet e a disfunção erétil ainda não são muito conhecidas.

Em nossa página sobre pesquisas científicas você irá encontrar várias.

Além disso, historicamente, pode demorar um pouco para a ciência acompanhar a realidade. Na década de 70, a causa da impotência sexual era psicológica, a “neurose do homem”, ou talvez de sua companheira.

Nos anos 90, quando os pesquisadores viram que drogas como o Viagra funcionaram, eles mudaram o diagnóstico para “causas orgânicas”.

Se a causa da Disfunção Erétil nos jovens é a pornografia, então a fonte do problema é, mais uma vez no cérebro (orgânica).

Disfunção Erétil induzida por pornografia não é psicológica, é um sintoma de um processo de dependência que alterou o cérebro. Especificamente os centros que controlam as ereções.

 

6 Evidências de que a Pornografia da Internet está por trás da Disfunção Erétil em Jovens

  1. Diferente da pornografia do passado, a novidade constante e as cenas extremas da pornografia atual, compõem uma descarga poderosa e não natural de dopamina.
  2. A Disfunção Erétil induzida pela pornografia pode levar anos para aparecer (ás vezes, décadas), por este motivo ela não é tão facilmente detectada pelos jovens.
  3. Além disso, os jovens costumam usar pornografia por muitos anos antes de fazer sexo com um parceiro real pela primeira vez.
  4. Nesse ponto, os jovens não sabem qual é a sensação de fazer sexo real, porque eles estão presos ao consumo de pornografia desde a puberdade, assim como a maioria dos seus amigos.
  5. Quando os jovens não conseguem obter uma ereção durante o sexo real, eles sempre podem culpar em outra coisa: álcool, maconha, o cabelo errado, o seu parceiro, a ausência de sexo anal, etc.
  6. E muitos especialistas ainda insistem erroneamente que a pornografia é inofensiva e que os problemas de ereção em pessoas de vinte e poucos anos perfeitamente normais, o que faz com que se aprofunde o problema.

 

Os 3 Tipos de Disfunção Erétil que existem

Para saber qual é o seu tipo de disfunção erétil, primeiramente você precisa conhece-los.

Abaixo os 3 tipos principais de disfunção erétil existentes:

 

1 – Disfunção Erétil Psicológica

A Disfunção Erétil decorrente da ansiedade sexual e do medo de falhar durante o ato, é conhecida como Disfunção erétil psicológica e é mais comum em adolescentes e pessoas com pouca experiência sexual.

Sua causa reside sobretudo no medo de falhar ou de não conseguir prolongar uma ereção e a tem origem psicológica.

Acredita-se que hoje, os fatores psicológicos, como estresse, ansiedade, vergonha ou até mesmo o medo do fracasso sexual, sejam responsáveis por cerca de 10% das causas da disfunção erétil.

A tendência é que esse tipo de disfunção ocorra em situações isoladas, mas nunca de forma crônica e constante ou na maioria das relações sexuais.

 

2- Disfunção Erétil Fisiológica

Essa é a mais conhecida, adquirida naturalmente pela velhice ou algum dano nos órgãos genitais.

Esse tipo de Disfunção Erétil é mais comum em pessoas idosas ou que já passaram da casa dos 60 anos.

Antigamente 90% dos problemas de Disfunção Erétil sejam causados ​​por problemas orgânicos, como problemas nos nervos, artérias bloqueadas, efeitos do alcoolismo, diabetes e claro, o envelhecimento.

Ou seja, se você tem menos de quarenta anos, é muito improvável que sua Disfunção Erétil exista por uma causa orgânica.

Mas é claro que é sempre bom começar verificando isso com um médico.

 

3- Disfunção Erétil Induzida pela Pornografia

Como o nome já diz, esse tipo de Disfunção Erétil tem origem no consumo de pornografia.

Ou seja, uma Disfunção Erétil que pode ocorrer em todas as idades. E por isso é tão comum em jovens ou pessoas com menos de 45 anos.

Se você é jovem (tem menos de 45 anos), tem o hábito de consumir pornografia e está tendo problemas de ereção, é muito provável que a sua Disfunção Erétil tenha sido induzida pela pornografia.

Na dúvida, procure um urologista. Se nenhum problema for detectado no seu órgão sexual, o problema está no seu cérebro e não no seu pênis.

 

Como saber qual o meu tipo de Disfunção Erétil?

Em primeiro lugar, observe os sintomas.

Você consegue ter uma ereção para pornografia, mas não consegue ter uma ereção para uma relação sexual real? Se a resposta for sim, provavelmente você adquiriu uma Disfunção Erétil induzida pela pornografia.

Quando você se masturba para a pornografia, você consegue ter uma ereção? Mas quando você se masturba sem pornografia e sem fantasiar sobre pornografia, você não consegue ter uma ereção? Se a resposta for sim, provavelmente você adquiriu uma Disfunção Erétil induzida pela pornografia.

Você consegue ter uma ereção para masturbação sem fantasias e sem pornografia, mas não consegue ter uma ereção para uma relação sexual real? Se a resposta for sim, então provavelmente você está apenas com um problema de ansiedade.

Você não consegue ter uma ereção nem com pornografia, nem com masturbação e nem com sexo? Se a resposta for sim, então sua Disfunção Erétil provavelmente é física e você deve procurar um urologista.

Simples assim.

Se mesmo depois de tudo isso, você ainda está em dúvidas, faça o teste que criamos especialmente para isso: Teste de disfunção erétil.

O teste leva menos de 1 minuto para ser realizado e detecta automaticamente se a sua disfunção erétil é psicológica, física ou então induzida pela pornografia.

 

7 Sinais de que você possui Disfunção Erétil induzida pela pornografia

Se você ainda está em dúvidas, abaixo listamos 7 sinais de que a sua Disfunção Erétil pode ter sido induzida pela pornografia:

  1. Você consome pornografia há vários anos?
  2. Você percebeu que não tem mais ereções espontâneas ao acordar?
  3. Você já não fica mais tão excitado com pornografia estática (fotos) ou com pornografia já vista anteriormente?
  4. Você precisa avançar para materiais mais extremos de pornografia para conseguir manter uma ereção?
  5. Você observou uma diminuição da sensibilidade do seu pênis?
  6. Você apresentou sintomas de Ejaculação Retardada (demora para ejacular durante o sexo com uma parceira real)?
  7. Você observou que não consegue mais manter uma ereção com uma parceira real durante o ato sexual (Impotência copulatória)?

Se você respondeu “Sim” para a maioria dessas perguntas, é muito provável que a sua disfunção erétil seja consequência do seu consumo de pornografia.

Ebook - Como Parar Com a Pornografia Hoje?

Baixe Agora o Nosso Guia Gratuito e dê o Primeiro Passo Rumo à Reversão do Vício!

 

Disfunção Erétil tem cura? Como tratar a disfunção Erétil em jovens?

Se você é jovem e tem um problema de Disfunção Erétil induzida pela pornografia, você alterou o seu cérebro. Simples assim.

A boa notícia é que Disfunção Erétil em jovens tem cura! Então, o que você deve fazer?

Para reverter a Disfunção Erétil induzida pela pornografia, você precisa dar um descanso para o seu cérebro de toda a estimulação artificial (pornografia). Não há outro remédio.

Conforme o tempo passa sem o uso de pornografia, nascerão em você novos receptores de dopamina e os seus níveis de dopamina voltarão ao normal.

Como as vias pornográficas enfraquecidas e a sensibilidade de seu circuito de recompensa recuperada, sua libido vai voltar.

Depois de um intervalo de tempo, você não terá que depender de pornografia para ter ereções e irá recuperar a sensibilidade no seu pênis novamente.

Foi o que aconteceu com este homem que aderiu ao tratamento e milhares de outros que pararam de consumir pornografia:

“Quanto mais eu fiquei sem pornografia, masturbação, fantasia e orgasmo, mais impossível se tornou para mim não conseguir uma ereção. Estou sem problemas de Disfunção Erétil ou ejaculações fracas como eu tinha há apenas alguns meses atrás. Meu corpo está curado. Então, se você ficar longe de pornografia e masturbação seu desejo sexual vai voltar. Ele irá voltar e de forma duradoura, eu posso garantir.” Ex-usuário.

Ou seja, parar de consumir pornografia por um período mínimo de tempo para que o seu cérebro possa retornar à sua sensibilidade normal de dopamina é o tratamento suficiente para reverter este quadro e curar a disfunção erétil.

Veja abaixo outro relato:

“Eu tenho 24 anos e tenho lutado contra a Disfunção Erétil há anos e só recentemente atribuí ela ao vício em pornografia. Eu estava em uma montanha russa emocional enquanto tentava descobrir qual era o meu problema. O que torna a coisa toda tão difícil é que você sabe que deve ficar excitado por mulheres reais, mas por alguma razão você não fica. Então você tenta forçar a sua excitação, você falha, e você entra numa espiral de depressão e ansiedade. Os especialistas realmente precisam ficar mais conscientes do que está acontecendo.” – Ex-usuário.

Está muito claro que o problema desses jovens é o uso pesado de pornografia na Internet, porque quando eles fazem o tratamento e ficam longe da pornografia por um longo período, suas ereções e desejos normais começaram a retornar.

Na dúvida, faça um teste. Fique 3 meses sem consumir pornografia. Se as suas ereções e libido voltarem você descobriu a fonte de seus problemas. Se não, nós estávamos errados e tudo o que você leu até agora era bobagem.

Contra a experiência não há argumentos!

E aí? Aceita o desafio?

Te desejamos uma vida saudável!

JUNTE-SE A MAIS DE 32.786 PESSOAS:

Entre para nossa lista e receba dicas exclusivas de como  parar com o Vício em Pornografia ainda hoje →

Deixe o seu comentário:

Talvez possa lhe interessar:

Conheça o nosso Método oficial de 3 Simples Passos para Você Se Livrar do Vício em Pornografia – E Nunca Mais Voltar Para Ele!

13 Compart.
Compartilhar11
Twittar2
WhatsApp
Email